A toxoplasmose ocular está entre as causas mais recorrentes quando o assunto são as infecções oculares no Brasil. Essa doença surge com mais frequência em pessoas com idade entre 25 e 45 anos, sendo que ela requer muita atenção, pois pode provocar uma redução visual muito grave.

A seguir, você vai conhecer os pontos mais importantes sobre a toxoplasmose ocular. Continue a leitura e entenda mais.

Causas da toxoplasmose

Dentre as principais causas dessa condição vamos ter:

É interessante observar que na maioria dos registros de toxoplasmose ocular, a causa é infecção adquirida. A maneira congênita tende a ser menos frequentes.

Além disso, a extensa maioria dos diagnósticos envolvem crianças recém-nascidas, mulheres grávidas e pacientes que estejam imunodeprimidos (quem faz quimioterapia ou tem HIV, por exemplo).

Quais são os principais sintomas

Em um primeiro momento, essa doença não apresenta sinais característicos. Entretanto, se ela não for tratada logo no início pode ocasionar vários problemas para o corpo, especialmente quando acomete a região dos olhos.

Quando isso acontece, a pessoa começa a ver pontos pretos, a ter fotofobia, dor e olhos vermelhos. Em situações mais graves, pode até sofrer uma diminuição da visão.

Sendo assim, se algum desses sinais aparecer é recomendado procurar o oftalmologista o quanto antes para uma avaliação mais detalhada da saúde ocular.

Como é o processo de tratamento

Os tratamentos direcionados para a toxoplasmose ocular são bem parecidos aos realizados para a toxoplasmose que atinge demais órgãos do corpo. Nesses casos, o uso de corticoides e antibióticos é algo recorrente.

Para que o paciente seja menos incomodado pela dor e pela inflamação nos olhos, o especialista pode recomendar o uso de colírios específicos. Além de levar mais conforto ao indivíduo o tratamento parte da necessidade de se evitar a multiplicação do parasita e, com isso, prevenir que danos significativos acometam a retina.

Lembrando que, em todos os casos, quanto mais cedo o tratamento for iniciado, melhor para o paciente. Aliás, isso é fundamental para evitar danos profundos na retina em decorrência do avanço da doença.

Orientações para prevenção

Os gatos são os principais hospedeiros do parasita causador da toxoplasmose. É importante saber que ter contato com o animal não vai fazer a pessoa ficar infectada.

O cuidado aqui é evitar ter contato com as fezes. Além disso, deve-se evitar alimentar os bichinhos com carnes mal passadas e até cruas.

As gestantes precisam de uma atenção especial. Os exames de pré-natal são muito importantes, pois podem ajudar a identificar a doença mais cedo e assim ser possível iniciar um tratamento mais efetivo.

Por fim, alguns cuidados gerais contra a toxoplasmose ocular são: lavar bem as mãos após ter contato com terra ou areia, conzinhar bem os alimentos, cuidar para higienizar corretamente legumes, verduras e frutas, limpar os reservatórios e caixas de água regularmente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como oftalmologista em São Paulo!